Como criar uma Loja Virtual

Como criar uma Loja Virtual

Como criar uma loja virtual tem se tornado muito atrativo! Muitos empreendedores vêem na internet uma grande oportunidade de negócio!

Não é pra menos! Apesar da crise econômica no país o comércio eletrônico tem apresentado crescimento constante nos últimos quatro anos. Continue reading “Como criar uma Loja Virtual”

Google, Facebook e Twitter unidos pelo open source no TODO

Google, Facebook e Twitter integram o TODO, um grupo de debate sobre o open source.

Os três gigantes da Internet, aos quais já se juntaram outros grandes nomes como a Dropbox, a Box ou GitHub, integram o TODO, um grupo aberto à participação de outras companhias e que procura debater sobre o open source e os desafios que podem vir com essa aposta.

 

Este grupo de empresas, que se identificam pelo interesse comum no software open source, querem promover o debate sobre este tema para garantir a existência de um software de qualidade.

No site oficial do grupo, os membros assumem o compromisso de trabalhar em conjunto para superar os desafios que podem vir a decorrer  desta aposta no software de código aberto, através da partilha de experiências e desenvolvimento de melhores práticas. 

Cursos gratuitos de Software Livre

gnuO Instituto Nacional de Tecnologia (ITI), através do projeto CDTC (Centro de Difusão de Tecnologia e Conhecimento), está oferecendo 78 cursos online gratuitos voltados à Software Livre.

O objetivo do projeto é unir esforços do setor público e de universidades públicas para ampliar o conhecimento e a utilização de Software Livre  noBrasil.

 

COMO PARTICIPAR

Existem dois tipos de plataforma, uma é voltada para os funcionários públicos e a outra para a comunidade. Se você é funcionário público acesse o CDTC Cursos  (é necessário possuir um e-mail institucional .org.br) clique em cadastramento de usuários e preencha seu cadastro. Agora se você não é funcionário público ou seu órgão não possui um e-mail institucional, acesse o CDTC Comunidade (é necessário um e-mail de provedor nacional .br) e siga os passos descritos para o funcionário público.

Após o cadastro acesse a caixa de e-mails fornecida no cadastro e responda ao e-mail de confirmação (clicando no link em azul). Se em cinco dias não houver confirmação seu cadastro será cancelado.

COMO SE INSCREVER EM UM CURSO

Clique no curso desejado e responda “sim” a pergunta “você deseja inscrever-se no curso”. Se quiser ler o resumo do curso antes clique sobre o ‘i’ dentro do círculo azul ao lado direito do nome do curso.

COMO APOIAR O PROJETO

Se quiser apoiar o projeto cadastre-se como monitor no site CDTC Comunidade ou cadastre cursos de sua empresa na plataforma (serão disponibilizados em licença livre) entrando em contato com o gestor@cdtc.org.br” target=”_blank” style=”margin: 0px; padding: 0px; color: rgb(29, 129, 182); text-decoration: none; outline: none; transition: all 500ms ease; -webkit-transition: all 500ms ease; background-color: transparent;”>Gestor do sistema.

fonte: http://gfcursosgratis.com/

Prefeitura Municipal de Guarulhos disponibiliza distro voltada à educação especial e com foco na acessibilidade: Guarux

Incluir digitalmente pessoas com deficiência visual, tetraplégicos e crianças com Transtorno de Desenvolvimento Global. Este é o objetivo do Guarux, solução de Tecnologia da informação (TI) que foi disponibilizada neste sábado, 27, durante o Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre de Guarulhos. Criado em 2009 pela Prefeitura Municipal de Guarulhos a partir do Linux Ubuntu, a utilização do sistema operacional gerou uma economia de R$ 1,2 milhão aos cofres públicos do município.

Em Guarulhos, o sistema é utilizado por cerca de 22 mil usuários da prefeitura. Além disso, o Guarux atinge uma grande parcela da população através dos centros de inclusão digital, que na cidade são chamados de Telecidadanias. Estes locais têm mais de seis mil acessos mensais e mais de sete mil usuários cadastrados. Os Telecidadanias fornecem ainda cursos profissionalizantes e cursos básicos de informática.

Com a disponibilização do Guarux no Portal do Software Público Brasileiro, o diretor do Departamento de Informática e Telecomunicações da administração da cidade paulista, Leandro Gramulha, espera que outros municípios possam se beneficiar das ações que foram desenvolvidas e economia gerada. “Queremos ajudar outras prefeituras e colaborar com outros projetos de inclusão digital. Também queremos receber ajuda e debater a evolução da ferramenta”, disse.

As prefeituras de Matão e Osasco, do estado de São Paulo, já utilizam a solução em seus projetos de inclusão digital.

A Solução Guarux é uma distro voltada à educação especial ou até mesmo a usuário final, visando, principalmente a acessibilidade de deficientes visuais e tetrapelegia com mecanismos(jogos) próprios voltados ao desenvolvimento de pessoas com Síndrome de Down e TDG – Transtorno Global do Desenvolvimento. (Autismo, Asperger, Síndrome do cromossomo X, entre outros). Além disso, contém uma gama de softwares educacionais e pedagógicos que auxiliam os estudos de crianças, adolescentes, adultos e docentes bem como profissionais na área da saúde que estejam envolvidos com estes temas.

Principais softwares embarcados:

  – Eviacam (interface que permite ao usuário mover e clicar o ponteiro do mouse utilizando movimentos da cabeça, o movimento é acionado por uma web cam.  http://viacam.org)

  – Orca (Leitor de tela destinado a deficientes visuais, o software fornece acesso a aplicativos e kit ferramentas que suportem AT-SPI como o ambiente GNOME, informando ao usuário, por meio de voz, qual aplicativo está sob a mira do ponteiro. http://live.gnome.org/orca)

  – Tuxtype (jogo educacional de datilografia.  http://tux4kids.com)

  – TDGrux (sistema voltado para o TDG – Transtorno do Desenvolvimento Global (autismo). Tem o intuito de facilitar a interação das crianças com o ambiente, possibilitando maior aproximação das pessoas que as cercam)

  dentre outros.

Principais Características Técnicas:

  – Sistema Base: Distro Linux Ubuntu, versão: 10.04 (lucid) kernel: 2.6.32-21-generic.

Acesse a comunidade Guarux:

    http://www.softwarepublico.gov.br/ver-comunidade?community_id=66594611

Convite: Construção Colaborativa do Novo Portal do Software Público Brasileiro

Ao longo dos últimos anos o SPB tem funcionado como um núcleo de inovação na administração pública e nos municípios brasileiros, causando transformações na economia, no setor público e na indústria de software. Considerando estas transformações a Coordenação do Portal do Software Público Brasileiro anuncia que está em curso o processo de reformulação do Portal do Software Público Brasileiro, que agora será mais aberto e participativo, de maneira que qualquer cidadão possa sugerir ideias  e usufruir mais das soluções que são ofertadas no ambiente.

A intenção é retomarmos o processo de desenvolvimento do novo Portal SPB da forma mais colaborativa possível, abrindo para toda a sociedade participar diretamente através de um processo de construção coletiva. A ideia é abrir espaço para que todas as partes interessadas no Portal possam contribuir, expressando suas necessidades e dificuldades no ambiente e opinando sobre maneiras de como torná-lo mais atrativo, interativo e eficaz.

– Participação pela Internet –

Para compartilhar suas sugestões, estamos oferecendo uma ferramenta de seleção de ideias nesse endereço: http://novo.softwarepublico.gov.br/ideias/ . Aqui você pode escrever suas sugestões para o novo ambiente e votar nas propostas que mais lhe interessarem. As sugestões mais pontuadas têm mais chances de serem incorporadas na nova versão do Portal do Software Público Brasileiro.

Precisando de informações sobre o funcionamento do Portal para dar sua sugestão? Estamos disponibilizando esse ambiente de wiki aberto ( http://novo.softwarepublico.gov.br/wiki/ ) , onde será registrada toda a base conceitual e teórica acumulada no decorrer do processo de desenvolvimento. Lá você encontrará informações como:

. Mapas mentais das atuais funcionalidades do SPB;

. Mapas mentais de atores que interagem com ele;

. Apresentações sobre ferramentas existentes cujas funcionalidades poderiam ser incluídas no SPB;

. Publicação sobre o pensamento sistêmico do Software Público Brasileiro;

. Agenda dos encontros presenciais.

Para facilitar a comunicação entre os que se interessam em colaborar, foi criada a comunidade “Novo Portal SPB” dentro do próprio Portal, que pode ser acessada pelo seguinte endereço: http://bit.ly/VfRFJF .

– Encontros presenciais –

Após essa fase de levantamento de sugestões pela Internet, serão realizados encontros presenciais conduzidos pelo Ministério do Planejamento, onde qualquer cidadão poderá ajudar apresentando mais definições sobre o novo Portal do Software Público Brasileiro. Esses encontros terão uma dinâmica própria que foi planejada para permitir que todos consigam ajudar de alguma forma, de acordo com seu conhecimento e área de interesse no SPB.

Interessados em participar dos encontros presenciais em Brasília devem indicar na comunidade “Novo Portal SPB” os dias em que estarão presentes, para reservar vagas: http://bit.ly/VfRFJF .

Esperamos suas colaborações!

Versão final do LibreOffice 4.0 disponível para download gratuito

libreofficeA Document Foundation anunciou, esta quarta-feira, dia 7, que já se encontra disponível a versão final do LibreOffice 4.0 para as plataformas Windows, Linux e Mac.

 

Apesar de não apresentar diferenças significativas, esta nova versão desenvolvida nos últimos sete meses vem corrigir vários bugs e adicionar melhorias aosoftware de produtividade.

 

Entre as novidades do LibreOffice destacam-se os suportes melhorados para a interface Unity, do Ubuntu, e para o formato Microsoft Publisher, sem esquecer a compatibilidade com os temas do Firefox.

A Document Foundation divulgou a novidade esta quarta-feira. Num comunicado, o presidente do Conselho de Administração, Florian Effenberger, afirmou que “o LibreOffice 4.0 é um marco na interoperabilidade e uma excelente base para o nosso trabalho contínuo para melhorar a interface do usuário”.

De acordo com o comunicado, esta nova versão “é o primeiro lançamento que reflete os objetivos imaginados pela comunidade desde o seu surgimento, em setembro de 2010: uma base de código mais limpa e enxuta, um conjunto melhorado de recursos, melhor interoperabilidade e um ecossistema mais diverso e abrangente”.

Pode fazer download do LibreOffice 4.0 a partir do link http://pt-br.libreoffice.org/baixe-ja/ e obter as extensões no link http://extensions.libreoffice.org/extension-center.

OpenOffice: Mais rápido

OpenOfficeIrei escrever algumas dicas simples, mas que poderão deixar seu OpenOffice bem mais rápido.

Embora eu vá tratar aqui do OpenOffice (inglês) para o Ubuntu (inglês), as dicas também servem para todos os outros sistemas operacionais em qualquer língua.

 

O pacote OpenOffice já está muito rápido, utiliza o padrão mundial de documentos chamado ODF, Open Document Format. As dicas tem como intenção aprimorar ainda mais o tempo de abertura dos aplivativos e o processo abrir e salvar os seus arquivos.

  • Mantenha atualizado o seu OpenOffice.
    Motivo: A cada nova versão, otimizações e correções são lançadas, agilizando a abertura e o processamento do seu OpenOffice.
    Como procededer: Acesse: http://www.openoffice.org/
  • Se você não usa, desative a máquina virtual Java
    Motivo: A Sun, desenvolvedora do OpenOffice, quis implementar o Java para uma série de funções na tentativa de popularizá-lo há muito tempo atrás. Isso ocorreu, mas por outros motivos. Poucas são as funções que usam Java e que são efetivamente usadas pela maioria dos usuários do OpenOffice (que chamarei agora de OO).
    Algumas dessas funções: macros, banco de dados, assistente de criação de documentos (wizards) etc.
    Como proceder: Abra qualquer aplicativo do OO. Vá em:
    Tools > Options > Java > Desmarque a opção “Use a Java runtime environment”
  • Aumentando os recursos de memória do OO
    Motivo: O OO trabalha com o padrão de arquivo ODF e sempre compacta seus arquivos para ocuparem, obviamente, pouco espaço. O problema é que essa compactação causa lentidão para abrir e salvar os arquivos por mexer com muitas operações em disco (que é muito mais lento do que a memória).Ao invés de remover essa compactação, é mais inteligente e eficaz aumentar a memória a ser usada pelo OO.
    Atenção: Não recomendo essa dica para computadores com 512MB de memória ou menos.
    Como proceder: Abra qualquer aplicativo do OO. Vá em:
    Tools > Options > Memory
    Em Graphics cache deixe 60MB para a opção “Use for OpenOffice.org” e 10MB para “Memory per object”.
  • Ative o QuickStarter
    Motivo: Um dos principais motivos da lentidão de se abrir pela primeira vez um documento a cada boot do computador é porque o OpenOffice, diferentemente da concorrência, carrega todos os dados necessários para que posteriormente qualquer outra ferramenta do OO seja aberta instantâneamente. Você pode agilizar esse processo ativando o QuickStarter, ferramenta que carrega os dados essencias do OO junto com o boot do seu sistema.
    Atenção: Não recomendo essa dica para computadores com 512MB de memória ou menos.
    Como proceder: Abra qualquer aplicativo do OO. Vá em:
    Tools > Options > Memory
    Em OpenOffice.org Quickstarter, ative a única opção que lá existe: Enable systray Quickstarter
  • Não use o OpenOffice como Microsoft Office
    Motivo: A maioria das pessoas acha que o pacote Microsoft Office é padrão e que todos os outros devem acompanhá-lo. Errado. Eles usam seus próprios padrões, fechados, sem alternativas. Muitas pessoas tem configurado seu OO para abrir a salvar seus arquivos como documentos do Microsoft Office, e esse processo consome recursos da máquina (processamento) e remove qualquer possibilidade de padronizar seu arquivo para qualquer outra ferramenta Office poder abri-lo.
    Como proceder: Se você precisa enviar um arquivo para alguém e ele foi feito no OpenOffice, faça essa pessoa instalar um plugin no Microsoft Office que o faça trabalhar com arquivos padronizados (ODF). A própria Sun fornece gratuitamente esse aplicativo: http://www.sun.com/software/star/odf_plugin/

UFRGS disponibiliza solução NAVi – Ambiente Interativo de Aprendizagem no Portal do Software Público Brasileiro

logo-bitsO NAVi é um ambiente virtual de aprendizagem web desenvolvido pelo grupo de pesquisa NAVi da Escola de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Seu objetivo é apoiar a condução das atividades de ensino e facilitar o processo de aprendizagem tanto do ensino presencial como à distância, disponibilizando ferramentas de interação, tarefas e compartilhamento de conteúdos.



A concepção de sua estrutura busca permitir a interação de todos os usuários (alunos e professores), independentemente de seus vínculos no ambiente. Para isso, o software permite a representação de estruturas de níveis hierárquicos (curso – disciplina – turma, por exemplo) no ambiente virtual, permitindo que usuários de diferentes instâncias interajam.

Com essa estrutura de níveis, o desenvolvimento do NAVi  teve como objetivo resolver o problema de limitação das possibilidades de interação dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem orientados a uma única instância (curso, por exemplo), onde os usuários apenas interagem com outros usuários daquela mesma instância.

Além de ferramentas de interação (Fórum, Chat, Correio, Recados, Relatos), o NAVi também conta com ferramentas de disponibilização de conteúdos (Agenda de Aulas, Vídeos, Acervo) e de tarefas (Prova, Enquete, Porfólio).

Inicialmente desenvolvido para atender as necessidades de alunos e professores da Escola de Administração da UFRGS, o NAVi rapidamente passou despertar o interesse de usuários de outras unidades acadêmicas da Universidade, assim como de outras instituições públicas e privadas.

Acesse a comunidade NAVi em: http://www.softwarepublico.gov.br/ver-comunidade?community_id=60993607

Principais funcionalidades:

  • Permite a representação de estruturas hierarquicas no ambiente virtual;
  • Permite a interação dos usuários em qualquer nível da estrutura hierarquica;
  • Possui ferramentas de comunicação, disponibilização de conteúdos e de tarefas;
  • Fornece indicadores de acesso, interação e entrega de tarefas;
  • Possui uma ferramenta de e-mail integrada.

Principais Características técnicas:

  •  Executa em Linux ou Windows;
  • Desenvolvido em PHP 5;
  • tiliza banco de dados MySQL 5;
  • Servidor web Apache 2 ou outro servidor web.

Open source: 9 projetos mais bem-sucedidos em 2012

200px-Opensource.svgÉ hora de olhar para trás e analisar quais tecnologias brilharam mais em 2012. Entre estas, algumas na área de código aberto conquistaram espaço no mercado. Veja a seguir nove projetos de open source que tiveram mais sucesso durante este ano:



1- Apache Hadoop
2012 foi o ano da decolagem do Big Data e da disseminação do Hadoop, projetada para tratar grandes volumes de informação. Vários distribuidores da ferramenta estão disputando a liderança do mercado. Hortonworks, Cloudera e MapR são apenas três dos líderes, mas gigantes como a IBM também abraçaram a plataforma. A revolução de dados grande só vai aumentar e parece que o código aberto Hadoop tem cimentado a sua posição de liderança. É usado por empresas como: Yahoo, Google, Facebook, Amazon.com e eBay.

2- MongoDB
A revolução de Big Data tem exigido o desenvolvimento de bancos de dados não-relacionais para fazer análise de grandes volumes de informações. Embora seja muito cedo para declarar um vencedor na corrida NoSQL, o MongoDB da 10gen, desenvolvedora da aplicação, parece estar na frente. Com uma equipe bem-sucedida de veteranos de tecnologia, o MongoDB é geralmente reconhecido como o líder, até mesmo por seus concorrentes. É usado por Etsy, Disney, CraigsList, Foursquare e The New Yok Times.

3- OpenStack
Com capacidade para gerenciar componentes de múltiplas infraestruturas virtualizadas, o OpenStack é resultado de esforço conjunto da Nasa (Agência Espacial Americana) e do provedor Rackspace. Chamado de sistema operacional da nuvem, o projeto já é suportado por diversas empresas. Porém, o apoio generalizado que gerou criticas de especialistas, que questionam a interoperabilidade em nuvem e falta de clareza sobre companhias que estão apoiando o projeto. Ainda assim, existem mais de 6 mil linhas de código em OpenStack, o que sinaliza que alguém está fazendo algo. O projeto tem como principais concorrentes a Amazon e CloudStack. É usado pela NASA, HP, AT&T, Deutsche Telekon, etc

4- Pentaho
O Pentaho conquistou espaço no terreno de business intelligence, integração com parceiros de Hadoop, bem com empresas NoSQL. A tecnologia também levantou capital e reforçou o número de clientes em 2012. Tem parcerias com HP, Read Hat, Cloudera, MySQL e Accenture

5 – PostgreSQL
Apesar de ter havido muito barulho em torno de NoSQL, o mar para banco de dados relacional tradicional não secou. Embora o MySQL tenha deixado a comunidade preocupada quando passou para as mãos da Oracle, ele abriu uma janela para um outro banco de dados open source. Trata-se do PostgreSQL, que é suportado comercialmente pela EnterpriseDB. A plataforma avançou no mercado. É usada por Skype, Reddit, State Farm, Sony online e Instagram.

5- Joomla
O gerenciador de conteúdo de website de código aberto se tornou um dos mais utilizados para desenvolvimento de lojas virtuais, blogs, portais e catálogos online. A plataforma se destacou por suportar vários aplicativos diferentes e extensões para dar aos usuários mais poder e flexibilidade na produção de sites customizados. A ferramenta já registrou mais de 35 milhões de downloads.

6- WordPress
Enquanto o Joomla se posicionou como plataforma de gerenciamento de conteúdos para construção de sites, o WordPress se tornou a preferida dos blogs. Especialistas do mercado afirmam que o WordPress é a tecnologia mais popular na categoria de Web Management. Embora as preocupações de segurança tenham aumentado nos últimos anos, a tecnologia tem se mostrado como uma das menos vulneraveis. É usada por sites como da CNN, Forbes, Reuters, Mashable

7- DotNetNuke
Menos conhecido na lista das plataformas WCM, o sistema DotNetNuke (DNN), para criação de aplicativos web na plataforma .Net da Microsoft, teve um ano excepcional. Em outubro desse ano, a Microft fechou um parceria estratégica para levá-la para sua arquitetura de nuvem Azure. Além disso, o projeto continua a adicionar várias funcionalidades para suportar e-commerce e hospedagem em cloud. 

8- SugarCRM
O SugarCRM, sitema de gerenciamento de clientes está construíndo história de sucesso. Durante muito tempo, foi considerado apenas uma versão de código aberto da Salesforce.com. Mas emergiu e vem avançando no mercado. Com várias opções de consumo, a ferramenta tem ofertas com preços para atender clientes de portes variados. Com inovação, o CRM encontrou o seu lugar. Já tem integração com Sharepoint (Microsoft), Lotus Notes, Yahoo Mail, Outlook e Gmail.

9- Audacity
Embora não seja um grande sucesso comercial como o resto dos projetos de código aberto mencionados, o software de edição digital de áudio Audacity vem se destacando no mercado pela sua facilidade de uso. Eu não estou ciente de qualquer suporte comercial da empresa e serviços, mas quem precisa? Ele simplesmente funciona. Se você tem que trabalhar com arquivos de áudio, o Audacity se apresenta como uma ferramenta poderosa. O sistema já foi baixado cerca de 70 milhões de vezes.

Abrir chat
💬 Posso Ajudar?