Realidade aumentada é o futuro da venda não só na internet.

Realidade aumentada é o futuro da venda não só na internet.

realidade-aumentada-varejo
Até 2017, a empresa de análise de Juniper Research espera que existam 2,5 milhões de aplicativos móveis de realidade aumentada, o que representa um sucesso sem precedentes na curta história dos smartphones e tablets.

 

O sucesso dessas aplicações vai ser conduzido, de acordo com a Juniper, por sua utilidade no varejo e no entretenimento. Para a companhia de análise, o uso da realidade aumentada no mundo dos negócios será uma mudança de paradigma na forma como os clientes e as lojas interagem.

Os aplicativos de realidade aumentada combinam realidade com sobreposição digital, permitindo, por exemplo, que os consumidores praticamente experimentem óculos ou artigos de vestuário por meio do dispositivo móvel. O modelo pode permitir que os varejistas possibilitem uma experiência online semelhante à das lojas físicas.

Ao reconhecer as imagens captadas pelo telefone, elas são transferidas para a nuvem e o número de imagens (produtos) que pode ser identificado irá aumentar exponencialmente, permitindo o desenvolvimento de aplicações que possibilitem a automatização do estoque da loja.

Por outro lado, há um desafio na popularização do modelo. Os usuários mais avançados de tecnologia conhecem a realidade aumentada ou pelo menos já ouviram falar. No entanto, outros consumidores ainda não estão conscientes das possibilidades desse novo mundo. 

Sem um aumento na conscientização dos consumidores será difícil para a indústria de realidade aumentada atingir a massa crítica e muitas aplicações não serão capazes de encontrar o público de que eles precisam para obter a rentabilidade.

O relatório da Juniper também indica que compras feitas por aplicativos de realidade aumentada têm muito terreno para crescer e serem a principal fonte de receita da indústria móvel. A empresa de análise acredita que o modelo vai invadir também a área de entretenimento. Um exemplo é o WowWee, que combina brinquedos físicos com um jogo em um smartphone ou tablet.

fonte: http://computerworld.uol.com.br

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Abrir chat
💬 Posso Ajudar?